Archives novembro 2018

Saiba a partir de quando podem protestar seu nome e deixar sujo – entenda!

Se você não pagou alguma dívida já deve ter pensado, ou está pensando nisso agora, se o seu nome está negativado no sistema. Muitas pessoas não sabem a partir de quando o credor pode solicitar isso ao Serasa ou ao SPC, acarretando muitas dúvidas. Saiba a partir de quando podem protestar seu nome e deixar sujo.

Leia esse artigo e descubra a partir de quando podem protestar seu nome para deixá-lo sujo e muitas outras coisas!

Saiba a partir de quando podem protestar seu nome e deixar sujo

Saber a partir de quando podem protestar seu nome e deixar sujo é interessante para todos aqueles que possuem alguma pendência, seja no comércio ou em bancos.

Em tese, a empresa pode mandar o nome para o Serasa ou SPC (Serviço de Proteção ao Crédito) assim que uma dívida é formada, ou seja, depois do vencimento final de alguma conta.

Porém, muito dificilmente isso irá acontecer, pois a dor de cabeça e o trabalho de colocar o nome de algum cliente nessas entidades é válido apenas em último caso.

Normalmente, mesmo quando podem protestar o seu nome e deixá-lo sujo, o diálogo é a primeira coisa que os credores apostam. É mais fácil para eles tentar um acordo com o devedor antes de tomar medidas mais drásticas.

Em média, os lojistas ou bancos dão um prazo de trinta dias antes de comunicar o Serasa ou o SPC. Nesse tempo, é comum que vários avisos sejam enviados ao cliente (muitas vezes ele apenas esqueceu-se de pagar).

Caso a loja ou banco tente manter contato e não houver retorno ou nenhum comum acordo, muito possivelmente a empresa cadastrará o seu nome e você passará a ser negativado, passa a ter o famoso “nome sujo”.

Após protestarem o seu nome e deixá-lo sujo só há duas alternativas para se escolher: esperar o prazo de 5 anos ou pagar a dívida.

O prazo de 5 anos é estipulado por lei e após esse período o Serasa e o SPC precisam retirar o cadastro do devedor. A dívida ainda existirá, mas o nome não ficará visível para outras empresas.

Caso você pague a dívida, o credor tem cinco dias úteis para retirar o nome do cadastro, sujeito a multa quando isso não é cumprido.

Qual a diferença entre ter o nome sujo pelo SPC ou pelo Serasa

A partir de quando podem protestar seu nome e deixá-lo sujo o credor vai fazer isso pelo Serasa ou pelo SPC.

O Serasa é destinado aos bancos. Ou seja, se você fez um empréstimo e não conseguiu quitá-lo ou não paga há meses a fatura do cartão de crédito, o banco colocará o seu nome no Serasa.

Já o SPC é para o comércio. A maioria das pessoas se atrapalha quando faz muitos boletos com longas prestações, isso faz com que a pessoa se perca no orçamento.

Meu nome está negativado, mas não contrai nenhuma dívida, e agora?

Algumas pessoas passam por esse tipo de situação. Quando vão pedir algum empréstimo ou coisa do gênero descobrem que estão com o nome sujo mesmo não tendo nenhuma dívida.

Isso acontece porque, às vezes, ocorrem erros no SPC ou no Serasa e eles cadastram pessoas como negativadas sendo que elas não estão.

Nessas situações, é possível entrar com recurso para regulamentar o seu nome e ainda pedir uma indenização pelo constrangimento.

Agora que você sabe a partir de quando podem protestar seu nome e deixar sujo, fique esperto, mas faça o máximo para negociar a dívida antes.

Quanto tempo meu nome pode ficar no Serasa e SPC?

Ter o nome no Serasa ou no SPC é um dos maiores medos de todas as pessoas que já possuem cartões, contas a pagar, etc. Quando seu nome consta em alguma dessas empresas o seu poder de compra fica mais restrito por conta da falta de confiança que “carregará consigo”. Descubra quanto tempo o seu nome pode ficar no Serasa e SPC.

Se você tem um nome do Serasa ou SPC, saiba que ele não fica registrado lá até que você quite a dívida.

O que é e quanto tempo o seu nome pode ficar no Serasa e SPC

Primeiramente, vamos entender do que se trata, de fato, o Serasa e SPC. Ambas são empresas particulares, mas contêm um cunho de serviço público.

Elas são, em linhas gerais, um banco de dados que assimila informações como nome completo, CPF, RG, endereço e dados pessoais de todos os cidadãos. Essa “ficha” fica disponível para os bancos e comércio.

Esse cadastro serve para dar um suporte às empresas de crédito ou venda, relatando a essas entidades se o solicitante dos serviços tem alguma dívida em seu nome.

Ou seja, o Serasa e o SPC informam se você está negativado ou, popularmente falando, com o nome sujo.

Muitas pessoas se perguntam sobre a diferença entre essas duas empresas, mas saiba que elas são, praticamente, a mesma coisa.

O SPC é financiado por associações comerciais (Câmaras de Dirigentes Lojistas), enquanto o Serasa é mais uma parceria com os bancos.

Então, simplificando, se você realiza a compra de um produto e não o paga, ou deixa de pagar o restante das mensalidades de um boleto, seu nome é encaminhado ao SPC.

Se você faz um empréstimo não consegue quitá-lo ou não paga sua fatura de cartão de crédito, seu nome será enviado ao Serasa.

Porém, essas empresas trocam suas informações e, no final das contas, o nome da pessoa negativada constará nas duas empresas.

Quando uma pessoa fica com o nome sujo e não consegue, de maneira nenhuma, quitar a sua dívida, em cinco anos as empresas precisam “excluir” os dados e o nome da pessoa é retirado dessas duas listas.

Veja bem, a pessoa ainda será responsável pela dívida, mas os bancos e o comércio não terá acesso a isso.

Não tenho dívidas, mas meu nome foi parar no Serasa e SPC

Algumas pessoas descobrem que seu nome está inadimplente ao tentar conseguir um empréstimo ou realizar um compra, mesmo nunca tendo contraído nenhuma dívida.

Ela não precisa se assustar e se preocupar tanto assim, as confusões feitas pelo Serasa e SPC não são raras.

Nessas ocasiões, a pessoa pode exigir uma indenização pelo constrangimento que causou para o cliente. Sendo esta amparada por Lei, constando no Código de Defesa do Consumidor (Lei nº 8078/90).

Se a pessoa deseja entrar o pedido para uma indenização, ela deve procurar um advogado para que ele facilite todos os trâmites.

Como evitar que meu nome pare no SPC ou Serasa

É comum nos atolarmos em dívidas e ter o nome repassado ao Serasa e no SPC, principalmente por conta de tantos cartões de crédito. Conheça algumas dicas para evitar esse tipo de coisa:

  • Se organize com seus cartões de crédito (tenha sempre em mãos quanto gastou de cada um).
  • Tente guardar uma porcentagem do seu salário para alguma emergência.
  • Não compre coisas desnecessárias de o orçamento está pequeno.
  • Corte gasto superfulos se não há como pagá-los.

Mesmo sabendo quanto tempo seu nome pode ficar no Serasa e SPC, o ideal é evitar ter o nome sujo.

Qual a diferença entre Serasa e SPC?

Já ouviu falar de Serasa e SPC? Provavelmente sim, principalmente se você já for adulto, tiver cartões de crédito e contas a pagar. O maior medo dos compradores é que seu nome acabe indo parar na lista de alguma dessas entidades, pois isso pode atrapalhar concessões como novos cartões e empréstimos de banco. Mas, você sabe qual a diferença entre Serasa e SPC?

Se você quer saber o que são, qual a diferença entre Serasa e SPC e como evitar que o seu nome pare em alguma dessas empresas, leia esse artigo.

O que são o Serasa e o SPC

O Serasa (Centralização de Serviços dos Bancos) e o SPC (Serviços de Proteção de crédito) são, basicamente, entidades que registram dados básicos de todos os cidadãos.

Dados pessoais, estado, cidade, nome completo, CPF, RG e coisas do gênero são cadastrados e compilados nesse enorme banco de dados.

O objetivo dessas empresas é repassar para os bancos e lojistas (ou qualquer empresa que esteja relacionada com alguma forma de crédito e compra) a situação da pessoa que está requerendo um empréstimo ou produto.

Quando você deixa de pagar uma dívida, o credor passa o seu nome para o Serasa e SPC, assim, passará a ser um negativado ou inadimplente.

Esse esquema serve, basicamente, para os bancos, lojas, etc., terem uma ideia de quem estão “lidando”. Por exemplo, se você pede um empréstimo muito alto ou coisas do gênero, o banco verá que você é negativado e isso pode restringir o acordo.

Em linhas gerais, é uma maneira de a empresa ter a opção de negociar apenas com pessoas que sejam “bons pagadores”.

Qual a diferença entre Serasa e SPC?

Como já dito anteriormente, o Serasa e o SPC possuem o mesmo objetivo: repassar informações importantes (principalmente sobre as dívidas) para as empresas que pretendem negociar com alguém.

Se esse alguém estiver negativado, ou com o nome sujo (popularmente falando), a empresa terá acesso a essa informação.

Não há nenhuma diferença muito discrepante entre elas. A mais marcante de todas é que o SPC é mais conectado às pessoas que ficam devendo no comércio, enquanto se Serasa é mais ligado aos bancos.

Então, se você pede algum empréstimo para o seu banco e não consegue quitar sua dívida, ele enviará os seus dados para o Serasa.

Agora, se você dividiu uma compra em várias vezes no carnê, por exemplo, e não conseguiu pagar todas as mensalidades, a loja enviará seu nome ao SPC.

Porém, no final das contas, quando a pessoa recebe o título de negativada por uma ou outra entidade, essa informação passa para a outra empresa também.

Ou seja, no final das contas o nome constará no Serasa e no SPC, estando disponível para os bancos e as lojas.

Após 5 anos com o nome registrado nessas empresas, se a pessoa não pagou a dívida antes, o nome some automaticamente do sistema e você fica regulamentado novamente.

Como fugir do Serasa e do SPC

A maioria dos brasileiros possui alguma dívida e muitos deles constam no Serasa ou no SPC.

Elaboramos uma lista para você fugir disso:

  • Nunca gaste mais do que você recebe.
  • Cuidado com os cartões de crédito. Tenha, se possível, apenas um.
  • Faça uma agenda com todos os gastos do mês, qualquer centavo deve ser anotado.
  • Evite gastar todo o seu salário ao decorrer do mês. Tente juntar 10% dele para uma emergência.
  • Não parcele produtos em muitos meses.

A diferença entre Serasa e SPC não é muito grande, como foi possível reparar. O ideal é que a pessoa evite estar na lista de qualquer um deles.

Quais são os motivos para inclusão de nome no Serasa?

Milhares de brasileiros possuem o nome no cadastro de inadimplência do Serasa e de outras empresas de proteção ao crédito. Entretanto ainda existe muita dúvida quanto às razões que podem levar alguém a ter o nome negativado e quais são os motivos para inclusão de nome no Serasa.

Por isso, separamos aqui alguns pontos importantes para quem está com o nome no Serasa ou deseja saber como o processo funciona.

O que gera a inclusão do nome na SERASA?

O motivo para a inclusão de nome na Serasa é basicamente um: inadimplência.  A falta de pagamento e o atraso de dívidas sejam devido a relações comerciais, contratos, emissão de títulos, cheques notas promissórias, etc. podem levar o nome do consumidor a constar na lista de negativados da instituição.

Em alguns casos mais raros pode acontecer de o nome ser incluído injustamente em decorrência de fraudes ou por pagamentos que já foram quitados, mas não foram devidamente computados. Nesses casos é necessário entrar em contato com o devedor e também acionar a justiça para que o problema possa ser solucionado.

O que é e como funciona a Serasa?

A Serasa é uma empresa privada que atua fazendo o armazenamento de dados de empresas e cidadãos que foram considerados inadimplentes. Estes dados estão abertos à consulta pública e são utilizados por diversos estabelecimentos no momento de fechar um negócio.

Com base nas informações que constam na Serasa empresas de todos os portes podem ponderar se devem fornecer crédito ou não para determinado cliente e tornar seus negócios mais seguros, já que assim, em teoria diminuem suas chances de sofrerem prejuízos.

Como saber se o seu nome foi incluído na lista da Serasa?

Se você acha que foi negativado e deseja realizar a confirmação, a maneira mais simples é através do site da Serasa. Com o CPF e alguns dados básicos em mãos a consulta pode ser feita de forma rápida, transparente e gratuita.

Além disso, é possível realizar a consulta também em pontos de atendimento físico e que estão espalhados por todo o país.

Como evitar a inclusão de nome na Serasa?

Antes que o nome seja efetivamente inserido na lista de negativados, a Serasa e outras empresas do tipo são obrigadas por lei a realizar a notificação ao consumidor, oferendo o prazo de dez dias corridos a partir dessa data para que possam ou quitar o que devem ou sinalizar o desejo de negociação.

Ter o nome sujo pode acarretar em diversas consequências como dificuldade para conseguir obter novas linhas de crédito e para conseguir empréstimos e financiamentos, além de ser considerado motivo de constrangimento para muitas pessoas.

Como tirar seu nome da Serasa?

Para tirar seu nome do banco de dados a forma mais rápida é quitar a dívida ou realizar negociação e parcelamento do valor. No segundo caso, o nome é retirado do sistema assim que é constatado o pagamento da primeira parcela.

É preciso salientar que caso o consumidor não honre com o acordo e pague o parcelamento em dia, ele pode ser inserido novamente no banco de dados de negativados.

O máximo de tempo que o nome de alguém pode permanecer no sistema da Serasa e das outras instituições de proteção ao crédito é cinco anos. Após esse tempo o nome é “limpo” e o devedor perde o direito de recorrer à justiça para receber o pagamento.

O ideal é sempre tentar evitar a inserção de nome na Serasa, realizando um planejamento financeiro rígido e caso necessário, procurando negociar prazos e valores com os credores, de forma que seja vantajoso para todos os envolvidos.

O que acontece quando seu nome fica negativado?

Ter o nome sujo na praça pode trazer diversas consequências e dificultar bastante a vida do cidadão. Saiba o que acontece quando seu nome fica negativado e o que fazer nessas situações.

Quais as consequências de ter o nome negativado

Ter o nome negativado é o pesadelo vivido atualmente por diversos brasileiros. Com a crise e o desemprego crescentes no país, muitas pessoas começaram a ter dificuldade de conseguir arcar com suas dívidas e pagar suas contas em dia.

Essas pessoas hoje esbarram em uma série de dificuldades e que podem afetar variados aspectos do dia a dia.

Maior dificuldade para conseguir obter crédito

A principal consequência para quem está com o nome listado nos órgãos como SPC e SERASA é a dificuldade em conseguir aprovar crédito. E isso vale para diferentes situações como crediários em lojas, cartão de crédito ou ainda a aprovação de financiamentos ou empréstimos.

A dívida e o nome negativado também podem prejudicar o Score, o que agrava ainda mais o problema. O Score é uma pontuação utilizada pelos mais diversos estabelecimentos como forma de mensurar a chance que determinada pessoa tem de arcar ou não com suas dívidas.

O Score leva em conta no cálculo uma série de fatores, mas o fato é que o nome negativado faz com que ele decaia bastante. Um score baixo além de tornar mais difícil a liberação de financiamentos e empréstimos, pode dificultar também na hora de conseguir descontos nas taxas e juros, já que o risco associado a esse consumidor é considerado mais alto.

Suspensão de opções de crédito alternativas

Além das dificuldades descritas anteriormente para obter novas linhas de crédito, alguns bancos e instituições financeiras podem realizar o cancelamento de benefícios já existentes, como a suspensão da disponibilidade do cheque especial e da entrega de talão de cheques.

Tudo isso limita ainda mais a possibilidade de conseguir ajuda para quitar a divida, fazendo com que muitas vezes o problema se torne uma “bola de neve”.

Outros problemas relacionados

Um problema pouco considerado e que ainda é praticado por muitas empresas, embora seja bastante controverso, é a consulta de restrições ao CPF/ nome do candidato em uma seleção de emprego.  Muitas vezes essa pode ser a razão para a escolha de um candidato em detrimento de outro.

Como saber se existe alguma restrição em seu nome?

Para saber se seu nome está negativado é possível realizar a consulta online, que dependendo da instituição de proteção ao crédito pode ser gratuita ou paga, ou ainda seguir a uma agencia de atendimento presencial com CPF e documento com fotos originais.

Pode acontecer de a pessoa ir parar no cadastro de negativados sem nem tomar consciência do fato. Uma conta esquecida, uma parcelinha que ficou atrasada ou um pagamento que não foi devidamente computado já são razões suficientes para que seu nome possa parar na lista de restrição.

A partir do primeiro dia de atraso da data de pagamento o credor já pode acionar qualquer uma das empresas de restrição ao crédito. A partir desse momento existe a obrigatoriedade por lei, de enviar uma carta a quem está devendo informando que existe o prazo de dez dias corridos para ou sanar a divida ou iniciar a negociação.

Passado esse prazo, se o consumidor não tomar nenhuma medida, ele pode ser incluído na lista de cadastro de negativados.

O ideal é evitar ao máximo ter o nome negativado. Embora seja difícil e a situação financeira aperte em alguns momentos, procurar uma negociação que seja vantajosa para ambas as partes pode evitar muita dor de cabeça e impedir que o nome seja incluído na lista de mal pagadores.

Mitos e verdades sobre nome sujo

As dívidas atormentam milhares de brasileiros. Para lidar com problema é preciso acima de tudo estar bem informado. Por isso, confira alguns mitos e verdades sobre nome sujo:

Algumas informações importantes para quem está com o nome sujo

Seja por um mau planejamento financeiro ou por imprevistos como a perda do  emprego ou doenças, o fato é que o número de pessoas na lista de restrição ao crédito e com o nome sujo não era tão alto há muitos anos.

Muitas pessoas inda têm dúvidas ou desconhecem seus direitos, por isso, separamos alguns pontos interessantes a serem esclarecidos:

Se renegociar a dívida, seu nome continua sujo até quitar tudo?

Mito. Ao renegociar a dívida, seu nome é retirado da lista de negativados assim que a primeira parcela do acordo é liquidada. Se isso não ocorrer, o consumidor pode acionar a justiça e exigir que o nome seja retirado imediatamente.

Antes de o nome ir para o cadastro de restrição ao crédito é preciso que a pessoa seja notificada?

Verdade. A partir do primeiro dia de atraso na data de vencimento estipulada para o pagamento da dívida, o credor já pode acionar as empresas como o SPC e o Serasa.

A partir desse momento elas têm, por lei, que enviar uma carta informando que o consumidor possui o prazo máximo de dez dias corridos para quitar a divida ou iniciar a negociação. Apenas passado esse período e se não houver manifestação da parte devedora é que o consumidor pode passar a ter o nome sujo.

Com o nome sujo é mais difícil conseguir crédito?

Verdade. Mesmo com o nome sujo ainda é possível conseguir crédito, existem algumas instituições financeiras que não possuem restrição para negativados, mas é algo muito raro e não funciona para todos os estabelecimentos.

Com o nome sujo muitos bancos não possibilitam a abertura de contas ou a tomada de empréstimos e financiamentos, podendo inclusive suspender benefícios como solicitação de talões de cheque e a linha de crédito especial.

Mesmo para os locais que possibilitam a tomada de crédito, ter o nome negativado tende a reduzir muito o poder de negociação, oferecendo juros mais altos por considerar o risco associado consideravelmente maior.

A dívida expira após cinco anos?

Mito. A dívida não expira ou é perdoada e o que acontece é que após esse tempo o nome não pode constar mais nos bancos de dados das empresas de proteção ao crédito.

Além disso, após esse período a dívida prescreve, isto é, o credor perde o direito de entrar com ação judicial para o pagamento da mesma, mas isso não quer dizer que o devedor não possa ser cobrado de forma amigável e sem envolver a justiça.

É importante ressaltar que o período de cinco anos começa a contar a partir da data de vencimento da dívida e não a partir da data de inserção na lista de negativados, pois esse é um erro bastante comum.

Outro ponto importante a ser notado é que mesmo após o nome ser limpo em decorrência do tempo, isso não significa que o consumidor conseguirá acesso ao crédito de forma imediata.

Para a liberação do crédito um dos parâmetros utilizados pelos estabelecimentos como lojas e instituições financeiras é o Score. O Score nada mais é do que uma pontuação que avalia o risco de uma pessoa arcar ou não com suas dívidas e para seu calculo são consideradas uma série de fatores.

Assim, se você tem seu nome sujo o melhor a se fazer é procurar uma negociação que seja vantajosa para ambas as partes e colocar seu nome em dia!

Cuidados que todo lojista deve ter em ao incluir um nome no SPC – Confira!

Se você tem algum tipo de comércio já deve ter se deparado com algum cliente que não pagou a dívida. Nesse momento, a primeira coisa que você pensa é como fazer para colocar o nome dele no SPC. Não é nada muito difícil, mas confira os cuidados que todo lojista deve ter em ao incluir um nome no SPC!

Nesse artigo você vai descobrir os que o lojista deve fazer para incluir o nome no SPC e muito mais!

Cuidados que todo lojista deve ter em ao incluir um nome no SPC

Antes de o lojista incluir um nome no SPC ele deve ter consciência de que há alguns protocolos que ele deve seguir.

Não é nada muito complexo, mas para que ele não saia como errado da situação, o melhor é seguir os seguintes cuidados:

  • Aguarde até 30 dias antes de repassar o nome. O lojista está no direito de repassar o nome ao SPC no instante em que uma dívida é formada, mas ele pode acabar perdendo com isso. Além do mais, às vezes o cliente simplesmente esqueceu-se de pagar.
  • Entre esse prazo de trinta dias se completarem, é indicado comunicar o devedor com uma série de avisos. Ele pode estar viajando, atolado de trabalho, enfim, nem sempre a falta de pagamento é pela falta de dinheiro. Isso pode poupar dor de cabeça para ambos os lados.
  • Não se esqueça de retirar o nome do SPC caso a dívida seja paga pelo devedor.
  • Após o pagamento ou renegociação da dívida, o lojista tem o prazo de cinco dias úteis para fazer a retirada do nome do comprador do SPC. Caso isso não seja feito, o cliente pode responsabilizar a loja por cadastro irregular.
  • Não erre o nome do cliente ao enviá-lo para o SPC. Parece exagero, mas muitos lojistas passam o nome errado e isso pode gerar uma confusão futuramente. O mais ideal é conferi-lo com calma para certificar-se de que não há erros.

Em resumo, o lojista deve alertar e tentar negociar a divida com o devedor, caso isso não dê certo, é preciso inserir o nome do mesmo no SPC e, se a dívida for paga, retirá-lo em até 5 dias úteis.

Esses são os maiores cuidados que todo lojista deve ter em ao incluir um nome no SPC.

Qual a diferença entre SPC e Serasa

Muitos lojistas se perguntam qual a diferença entre SPC e Serasa na hora de incluir um nome em alguma dessas empresas.

O Serasa é destinado àqueles que não pagaram suas dívidas em bancos, como empréstimos ou faturas de cartão de crédito.

Já o SPC é destinado ao comércio, e é por isso que o lojista deve incluir o nome no SPC e não no Serasa.

Mas, de resto, as duas empresas são, basicamente, a mesma coisa. Ambas arquivam e “divulgam” os nomes das pessoas negativadas para que as firmas tenham acesso a isso.

Os problemas que os lojistas têm com os compradores inadimplentes

Após o lojista incluir o nome no SPC, poucas são as pessoas que realmente pagam a dívida, principalmente se ela for alta.

Até porque, se o cliente não pagou a dívida mesmo com todos os alertas, significa que ele não o fez por falta de dinheiro. Então, não há muito que ele possa fazer nesses casos.

Às vezes o lojista pode sair perdendo, principalmente porque após 5 anos o nome do devedor é retirado do cadastro. Mas, independente, siga os cuidados que todo lojista deve ter em ao incluir um nome no SPC.

Como sair do SPC? É possível?

Ter o nome negativado junto ao serviço de proteção ao crédito é motivo de constrangimento e preocupação para muitas pessoas. A boa notícia é que sair do SPC é algo possível. É preciso ressaltar, entretanto, que não é  simples ou rápido e requer certa dose de empenho do consumidor.

Como tirar seu nome do banco de dados do SPC?

Pode-se dizer que o nome de uma pessoa é excluído da lista do SPC apenas nas seguintes situações:

Pagamento da dívida

Aqui vale tanto o acordo a vista, para o qual geralmente é possível conseguir bons descontos ou também para o parcelamento. No caso do pagamento parcelado, o nome é excluído apenas depois de constatada a liquidação da parcela inicial.

Se por ventura isso não acontecer, existe a possibilidade de recorrer à ajuda judicial, pedindo limiar para exclusão imediata do seu nome dos cadastros, e em alguns casos pode caber ainda ação indenizatória por danos morais, pelo mantimento indevido da restrição em seu nome.

É preciso alertar que se for firmado o acordo para pagar a dívida e se não for cumprido o que foi previamente estabelecido é possível ter seu nome cadastrado de novo junto ao SPC, contando a partir da data de vencimento da parcela.

Negociação da dívida na justiça

Esse caso é valido para diferentes situações, como quando a dívida já foi paga, não foi realizada pela pessoa com nome no cadastro ou quando a divida pode ser enquadrada em situações de juros ou outras cláusulas abusivas.

A dívida completou cinco anos

Se a dívida completou cinco anos da data de vencimento, o nome pode ser removido do SPC. É preciso se atentar ao fato de que muitas vezes esse prazo é calculado a partir da data de inserção no cadastro de devedores, o que é errado.

Segundo o Código de Defesa do Consumidor e o Código de Processo Civil, é previsto que o prazo prescricional da cobrança pelo credor corresponde à data de vencimento da dívida que não foi paga.

O prazo prescricional, como o próprio nome sugere, se refere a prescrição da dívida, isto é, quando a pessoa perde o direito de cobrar judicialmente o que é devido, por não ter feito a cobrança dentro do prazo de cinco anos que é previsto pela lei.

Se o consumidor possui múltiplas inscrições em seu nome, por dívidas diferentes, os prazos devem ser computados de forma separada.

Quando a divida prescreve e ainda assim o nome do consumidor não é removido da lista do SPC, é possível procurar ajuda junto a justiça, pedindo exclusão imediata de seu nome da lista de negativados. Em alguns casos, como descrito anteriormente, pode caber também indenização.

Como saber se seu nome consta no banco de dados do SPC?

Algumas pessoas podem ter dúvidas na hora de confirmar se realmente o nome consta no banco de dados do SPC. O SPC Brasil dispõe de consulta pela internet, sendo possível consultar através do número do CPF, mas é cobrada uma pequena taxa pelo serviço.

Também é possível realizar essa consulta pessoalmente. Para realizar a consulta presencial é preciso comparecer a qualquer um dos pontos de atendimento do SPC Brasil, portando o documento de CPF original e um documento com foto. Os endereços dos balcões de atendimento estão disponíveis através do site do SPC Brasil.

Ao realizar a consulta o consumidor recebe um extrato constando os dados do credor e valor da dívida, podendo dar inicio a negociação de forma direta ou através da justiça, para finalmente sair do SPC.

Como limpar o nome e CPF sem pagar a dívida

Quando a pessoa tem o nome sujo isso acaba virando uma preocupação constante, muitos consideram motivo de vergonha ter o nome fichado no SPC ou Serasa (mas precisamos entender que isso acontece e é muito comum). Se esse é o seu caso e quer livrar-se disso, descubra como limpar o nome e CPF sem pagar a dívida.

Aqui você vai descobrir como limpar o nome e CPF sem pagar a dívida sem cair em golpes e algumas outras dicas.

Como limpar o nome e CPF sem pagar a dívida

Antes de falar como limpar o nome e CPF sem pagar a dívida vamos explicar como funcionam as empresas que são responsáveis por propagar esse tipo de informação aos bancos e comércio.

O SPC e o Serasa são empresas privadas, mas que funcionam com uma função pública e essas entidades são responsáveis por armazenar os dados dos cidadãos.

Quando você deixa de pagar uma dívida o cobrador pode passar o seu nome para alguma dessas empresas e, neste caso, esse registro fica disponível para os bancos e qualquer empresa que forneça algum tipo de produto.

Ou seja, o SPC e o Serasa fazem um registro e disponibilizam todos os “nomes sujos” (negativados) de maneira gratuita.

Mas, para que isso serve? Isso serve como um suporte para as outras firmas na hora de avaliar o perfil do comprador ou de alguém que esteja pedindo um empréstimo.

Quando a pessoa está inadimplente, muitas concessões são cortadas (empréstimos, novos cartões de crédito, etc.), pois ela passa a ser vista como “mau pagador”.

Por isso os negativados ficam tão ansiosos para limpar o nome e CPF, mas como fazer isso se não há dinheiro para pagar a dívida?

Se você quer saber como limpar o nome e CPF sem pagar a dívida, a resposta é muito simples: espere 5 anos e pronto!

Após esse período o SPC e o Serasa retiram o registro de devedor e as outras empresas não saberão que você deixou de pagar uma dívida.

Evite que seu nome vá parar no Serasa ou no SPC

Como medida de precaução, a pessoa deve se prevenir para que seu nome não vá parar no Serasa ou no SPC. Pois isso é mais fácil do que limpar o nome e CPF sem pagar a dívida.

Confira as dicas abaixo:

  • Se organize com o seu orçamento: veja quanto você ganha e quais são seus gastos fixos.
  • Retire do saldo que sobrou uma pequena porcentagem e coloque em uma poupança.
  • Gaste ou compromete apenas o que sobrou, caso contrário o acúmulo de dívidas terá um efeito dominó.
  • Lembre-se: sempre terá que pagar o cartão de crédito. Parcelar é apenas amortecer a dívida, mas ela ainda existirá, portanto, controle os gastos no cartão.

Golpes que propõem limpar o nome e CPF sem pagar a dívida

O desespero das pessoas que desejam limpar o nome e CPF sem pagar a dívida pode prejudicá-las nesse momento e muitas acabam caindo em golpes, principalmente pela internet.

Hoje em dia é muito comum encontrarmos anúncios do tipo “limpo seu nome por apenas R$15,00” e coisas do gênero.

Parece bobagem, mas muitos negativados caem nesses golpes e acabam perdendo mais dinheiro ainda. Há sempre uma pessoa de ma fé tentando aproveitar de um momento de fragilidade.

Há até mesmo aqueles que cobram para consultar se o seu nome está ou não no SPC ou no Serasa, sendo que isso pode ser feito gratuitamente.

Agora que você sabe como limpar o nome e CPF sem pagar a dívida, resta ser paciente e organizar melhor os seus gastos.

Como limpar o nome? Saiba 4 passos simples!

Milhares de brasileiros se encontram endividados e com restrição junto às empresas de proteção ao crédito. Isso é algo que pode gerar constrangimentos e dificultar a vida em muitos aspectos. Se você se encontra nessa situação, esse artigo é para você. Saiba agora como limpar seu nome em 4 passos simples.

Como fazer para limpar o nome?

Estar inadimplente e com nome negativado pode tornar muito mais difícil obter novas linhas de crédito, abrir contas em banco ou conseguir financiamentos e empréstimos. Além disso, pode ocasionar a suspensão da emissão de talões de cheque ou da disponibilidade do crédito especial.

Ainda que em alguns casos raros a linha de crédito venha a ser liberada é muito mais difícil para o consumidor com o nome sujo conseguir negociar melhores taxas de juros e condições de pagamento, já que o risco associado é considerado maior. Por isso, o ideal é tentar limpar o nome.

Saber exatamente a divida que consta em seu nome

Para limpar o nome o primeiro passo é saber exatamente qual divida pendente e que levou a inserção de seu nome no cadastro de negativados. A consulta pode ser feita pela internet e é necessário ter em mão o CPF e alguns dados básicos.

A consulta pode ainda ser realizada pessoalmente, bastando se dirigir a qualquer um dos diversos pontos de atendimento distribuídos pelo Brasil. É importante dizer que essa consulta pode ser realizada gratuitamente ou pode ser cobrada uma pequena taxa.

Realizar o pagamento ou negociação

O segundo passo para limpar o nome é procurar o credor para quitar a dívida ou para sinalizar o desejo de negociação. Se for optado o parcelamento é preciso que tudo seja estipulado com transparência.

Ao pagar a primeira parcela já é possível ter o nome limpo. Porém, se o consumidor não cumprir com o que foi estipulado e atrasar ou deixar de pagar em dia as parcelas, seu nome pode retornar ao sistema.

Conferir se o nome foi retirado do cadastro de negativados

Após seguir os dois passos anteriores o seu nome já estará limpo. É preciso, entretanto, verificar se ele será realmente retirado do sistema. Após o pagamento ou negociação as empresas têm geralmente cinco dias úteis para apresentar o recibo e retirar a dívida do CPF do cliente.

Fazer um planejamento financeiro

Existem muitos motivos que podem levar alguém a se endividar. A crise e o desemprego recentes, por exemplo, causaram impacto inesperado no orçamento de muitas famílias e acabaram tornando mais difícil fechar as contas no fim do mês.

Uma doença ou acidente inesperado também podem trazer despesas que não foram previstas e dificultar a vida financeira. Outras questões, porém, podem ser previsíveis e o planejamento é fundamental para evita-las.

É preciso fazer uma análise objetiva sobre seu orçamento: o quanto você ganha, o quanto gasta para as contas básicas e o quanto sobra ao mês. Assim, poderá ter maior clareza sobre o quanto pode gastar.

Não realize compras por impulso, procure sempre pagar a vista, analise bem os juros e opções antes de realizar qualquer negócio. Além disso, ter parcimônia com o cartão e evitar utilizar o crédito especial são medidas simples e que podem auxiliar as famílias a evitar o endividamento.

Realizar uma pequena reserva para o caso de emergências também pode ajudar aliviando o bolso em caso de gastos surpresas.

Após cinco anos a divida não pode constar mais nos cadastros de nenhuma das instituições de proteção de crédito e nem pode ser cobrada judicialmente pelo credor. Entretanto, esperar esse período pode acarretar em diversas consequências e o mais indicado é sempre procurar limpar o nome e negociar condições que sejam vantajosas para as duas partes.

Carregando…